Foto: Cacau Querino

De passagem por Sampa com meu filhote Mateus, vi a programação do CineMaterna. Oba! – vai ter amanhã, pensei. Nossa primeira vez!, pensamos juntos. Pensar o dia bom, como versou Drummond… Foi ótimo, porque foi feliz. A proposta não é a da experiência artística. Pode ser também. Mas a de viver juntos nosso amor, indefinidamente, num ambiente de amor. É como se a gente partilhasse esse amor. Porque, todas que estão ali vivem, como a gente, a indizível experiência de ser mãe e de ser filho, nessa fase em que tudo, praticamente tudo, é instinto, é natureza bruta, é essa palavra que nos habita: amor…

Janaina Rocha, mãe de Mateus, um bangunceiro lindo que foi ao CineMaterna com 7 meses

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *