No post anterior falei sobre as sessões com recorde de público e nosso esforço em manter a experiência do CineMaterna bacana. Estava contando dos bastidores, e agora, vou revelar o lado pink da força. Hehehe. Quem faz o CineMaterna acontecer nos cinemas são elas, voluntárias PINKS, que recebem as mães, bebês, pais, avós, amigos e irmãos, com delicadeza.

Elas estão em todas as sessões CineMaterna. Todas. São mães, muitas usufruíram das sessões, depois vieram até nós, explicaram que queriam “retribuir o carinho que receberam” e se tornaram voluntárias. Tem propósito mais nobre que este?

As pinks não precisam de ensinamento sobre empatia para acolher mães com bebês. Basta um olhar para saber quando oferecer ajuda ou se é melhor apenas observar e estar à disposição. O treinamento que damos é técnico: ajustes de som, luz e ar condicionado e montagem da sala. A receptividade? Vem do coração.

Em São Paulo – foto de Bete Sozza
Em Aracaju – foto de Martha Oliveira
Em Florianópolis – foto de Liana Giannini

Esse discurso de receber as mães com amor lhe parece piegas? Pois estou para conhecer voluntárias mais identificadas com o que fazem, o que me espanta, na mesma medida que me orgulha. Nestes dias movimentados estão recepcionando 50, 100 ou mais mães com bebês e seus acompanhantes. Saem exaustas da sua jornada, mas muito felizes, porque, afinal, são mães que saíram de casa e deram um passo para se reencontrar como mulher, em nova versão, diferente daquela de antes da maternidade.

Em Criciúma – foto de Pimentinha Fotografia
Em Belém – foto de Leonardo Freire
Em Salvador – foto de Carol Bassuma
Em Sorocaba – foto de Jeniffer Karoline
Em Porto Alegre – foto de Alê Bruny

São 335 voluntárias, pinks, mulheres, mães e profissionais. À frente delas, duas pessoas muito especiais: Fabíola Lupinari, que está há quase um ano no CineMaterna e traz sua experiência do mundo corporativo, quando estava à frente de equipes enormes que necessitavam de treinamento e alinhamento, e a Renata Barrios, braço direito, esquerdo, cabeça e coração pinks, que foi voluntária no CineMaterna por oito (oito!) anos.

Fábiola Lupinari (à esquerda) e Renata Barrios, que garantem o acolhimento pink em qualquer CineMaterna do Brasil
foto de Olivia Vinci

Isso é amor pink, na sua forma mais pura!

4 Comments

  1. Avatar
    Valéria

    Desde que conheci o cinematerna muita coisa mudou. Pois com bebê pequeno não é possível fazer algumas coisas para distração e de repente você descobre que pode se distrair e ainda levar o seu bebê. O melhor saber que não vai incomodar ninguém, pois todas estão na mesma situação. Nossa Não podia ter surgido idéia melhor. Obrigado às todos do cinematerna.

  2. Avatar
    Ludmilla Lacerda

    Genteeeeeeeeeeeeeeeeeeeee, estou chorando de emoção! Toda arrepiada!
    Ser uma pink é algo que não dá pra descrever com as infinitas palavras existentes no nosso vocabulário. Têm que sentir!
    Como sou grata por esses 11 anos compartilhando os momentos com essa família que é o CineMaterna.
    Irene, continue com essa luz, sensibilidade, ideias e amor emanados por onde passa.

Deixe uma resposta para Ludmilla Lacerda Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *