Cinema com o bebê: você está pronta?

O começo da maternidade é como um renascimento. Com o bebê nasce uma mãe e também uma nova mulher: mudam as prioridades, os gostos, a forma de ver o mundo. ⠀

Por um tempo, até as coisas mais simples são desafiadoras. Andar com o bebê com o carrinho em uma rua movimentada vai bem até passar aquele ônibus/caminhão fumacento. Lugares apertados? Cheios de gente? Com um bebê pequeno? Ai!⠀

E assim, protegendo, cuidando, a mãe acaba se isolando. E chega uma hora que parece que o mundo todo está a mil e você parou. Mas parou mesmo?⠀

“Voltar” para o mundo com um bebê nos braços é desafiador. E dá para fazer isso aos poucos, devagar, levando o pequeno no colo, no sling, no carrinho, da forma que você preferir.⠀

Aqui, no CineMaterna, quando perguntam a partir de quando podem vir com o bebê, sempre respondemos: a hora certa é quando a MÃE se sente tranquila e segura. Aqui, fazemos de tudo para que elas sintam-se acolhidas.⠀

E não somos a única opção, claro! Está sem ideias? Praças, cafés, visitar alguma amiga (especialmente as que já tem filhos) e grupos de dança materna podem ser uma boa pedida. #ficaadica

Você, que já saiu da bolha de casa, conta pra gente: para onde ia quando começou a sair com o bebê? 

Por que é CineMATERNA?

Excluímos os homens da jornada de criação de filhos quando nos chamamos de CineMATERNA? E a paternidade ativa, minha gente? O fato de ter materna no nome não exclui os pais, mas reflete sobre um papel feminino de gestar, parir, amamentar e se conectar visceralmente com um bebê. Acreditamos, incentivamos, …

Bom dia, boa noite

Há muitos motivos para assistir a Mil Vezes Boa Noite. Tem Juliette Binoche, garantia de uma atuação impecável. No filme, ela é mãe e profissional requisitada. Considerada uma das melhores fotógrafas de guerra em atividade, Rebecca (Juliette Binoche) precisa enfrentar um turbilhão de emoções quando seu marido (Nikolaj Coster-Waldau) lhe …

Busca feminina

Consegue imaginar o que estas mulheres tanto procuram dentro do cinema? Seria um laço de cabelo de bebê? Ou uma lente de contato?  Acredite: era uma unha. Pink, é claro! Taís Viana inventou uma moda de colocar unhas postiças, um traço de vaidade aliado à praticidade e falta de tempo …

Vidas em papéis

Temos quase 200 voluntárias ativas no Brasil. Ativas porque provavelmente temos a mesma quantidade de mulheres que já passaram pelo CineMaterna e saíram das equipes. A maioria, porque voltou a trabalhar, mas há aquelas que abriram um negócio, começaram uma especialização, ou mudaram de cidade. São todas mulheres, a imensa …

O Sonho de Wadjda

Adivinha qual O Sonho de Wadjda? WADJDA é uma menina de 12 anos que mora no subúrbio de Riad, capital da Arábia Saudita. Embora ela viva em uma cultura conservadora, Wadjda é uma garota cheia de vida, que usa calça jeans, tênis, escuta rock’n roll e deseja apenas uma coisa: …

Brilho de Mulher

Estou sempre atenta aos movimentos profissionais das mulheres que frequentam o CineMaterna. Vi vários negócios e parcerias nascerem. Uma delas é o de uma gaúcha, a Deise, coordenadora em Porto Alegre. Lembro-me do dia em que a entrevistei, empolgadíssima em ser voluntária. Muito articulada e ao mesmo tempo meiga, me …